Certamente quem sofre ou já sofreu com cálculo renal lembra bem da doença, já que estamos falando de uma condição dolorosa, súbita e de intensidade severa.

As popularmente conhecidas como pedras nos rins se formam quando a urina apresenta alto nível de algumas substâncias como cálcio, oxalato, ou ácido úrico, que se precipitam em pequenos cristais e na sequência se unem, formando as pedras. Alguns casos também são desencadeados pela diminuição de alguns fatores que impedem a formação destes cristais, como o citrato. Cerca de 80% dos cálculos renais tem como principal componente o cálcio.

Entre as causas da doença estão a predisposição genética, o clima quente, a obesidade, uma dieta rica em proteínas e sal e a baixa ingestão de líquidos.

Além das cólicas intensas na região lombar, que se irradiam para o abdome anterior, também são observados outros sintomas, como a sensação de bexiga permanentemente cheia, náuseas, vômitos e, em alguns casos, pequenos sangramentos na urina.

Quando estes sintomas surgem, o paciente deve buscar com urgência o seu urologista.

O tratamento dependerá do tamanho e da localização das pedras. O mais comum é a litotripsia extracorpórea, no qual as pedras são quebradas, facilitando a excreção junto com a urina. Existem outros tratamento cirúrgicos que podem ser indicados caso seja necessário.

Para evitar dores de cabeça, principalmente para quem já sofreu com a doença, tenha o contato do seu urologista sempre à mão e atualizado.